04 fevereiro 2017

[Resenha]: Eu Estou aqui- Clélie Avite

Sinopse: No cenário frio e asséptico de um hospital surge a paixão entre Elsa, uma montanhista em coma há cinco meses depois de cair durante uma escalada, e Thibault, que se refugia no quarto da moça, por não querer visitar o irmão, o motorista bêbado que causou a morte de duas adolescentes num acidente automobilístico. Delicadamente composto, o romance mostra o envolvimento gradual entre dois personagens cuja comunicação se dá instintivamente. Enquanto Thibault pode conversar e incentivar Elsa a retomar o domínio de suas ações, a jovem ouve, percebe e sente toques em seu corpo, mas não tem como comunicar seus desejos e anseios. Os dois passam a se conhecer tanto pelo que transmitem um ao outro – Thibault em suas confidências, Elsa tentando demonstrar que corresponde a seus estímulos – quanto pelo que os amigos da montanhista comentam a respeito do rapaz ou falam a ele sobre Elsa. Junto da moça em coma, Thibault sente-se tranquilo e protegido da revolta contra o irmão, internado em estado grave no mesmo hospital. Elsa, embora cercada pela família e por amigos, se entusiasma com a ousadia de Thibault, que não se acanha em beijá-la. E quando os parentes discutem a possibilidade de desligar os aparelhos que a mantêm viva, é com ele que Elsa conta para lutar por sua própria sobrevivência. Narrado em primeira pessoa, alternando os relatos dos dois protagonistas, Clélie Avit consegue abordar problemas universais e atuais, como eutanásia, violência no trânsito e alcoolismo. As novas famílias urbanas também se superpõem aos laços biológicos. Thibault acompanha a mãe ao hospital, mas se recusa a enfrentar a situação do irmão, à beira da morte por um desastre causado por irresponsabilidade



Romance Contemporâneo |288 Páginas | Cortesia Editora Rocco|  Compare & Compre: Submarino •Saraiva • Amazon| 


Foi paixão á primeira vista. Tudo me encantou em Eu Estou aqui: a capa, a sinopse e a premissa que promete um romance arrebatador entre uma mulher em coma e um completo desconhecido. Desde o começo sabia que o livro seria romântico e previsível, e pude comprovar isso durante a leitura, contudo logo na primeira página soube que essa história aqueceria meu coração. E foi dito e feito. A trama é leve e ao mesmo tempo reflexiva. O romance nasce do imprevisível e, graças a uma narrativa intercalada entre os protagonistas, mergulhamos não apenas em uma história de amor capaz de curar corações, mas também em uma narrativa sincera e cruel sobre a vida adulta e os medos e anseios que ela gera. Lemos sobre o coma, a perda, sobre decepções amorosas e os erros cometidos por homens e mulheres desacreditados, e principalmente sobre o desejo visceral de encontrar e viver um grande amor. Simplesmente amei o livro do inicio ao fim.
  Elsa é movida por aventura. Seu espírito inquieto só encontra paz ao chegar no topo de uma montanha, por isso o montanhismo sempre foi uma das suas grandes paixões – mas isso até ela sofrer um grave acidente e ficar em coma. Já faz alguns meses que Elsa está no hospital com máquinas que respiram no lugar dela. Sem esperança médica de que ela acorde, os amigos e familiares estão despedindo-se aos poucos. Entretanto, recentemente a jovem tomou consciência de que está viva. Ela não consegue falar ou muito menos se mexer, mas escuta todos ao seu redor, portanto precisa provar para os médicos e seus familiares que existe uma mínima esperança de seu corpo reviver. Enquanto isso não acontece, Elsa recebe visitas de pessoas que lamentam sua perda e sofrem por vê-la definhar em um quarto de hospital. O único visitante que muda o clima do quarto – geralmente permeado pela desilusão – é Thibault. Ele só está ali para visitar o irmão e precisa de um lugar calmo para respirar fundo e deixar todos os dramas familiares de lado. E é exatamente em uma dessas andanças pelo hospital que Thibault entra sem querer no quarto de Elsa. O encontro entre um homem perdido e uma mulher em coma não poderia ser mais inusitado, pois sem ao menos perceber ambos vão se apaixonar e sonhar com o dia que poderão viver esse tão belo amor.
A narrativa é intercalada entre os dois: Elsa, ouvindo todos ao seu redor, sentindo-se impotente, ficando cada vez mais encantada com as visitas de Thibault, e no final querendo com todas as forças abrir os olhos e voltar a viver plenamente. E Thibault, lidando com o divorcio recente, com os dramas da família e do acidente do irmão, com a vontade de ser feliz no amor, e se aproximando cada vez mais de Elsa – essa mulher que ele só conhece de conversar com os visitantes dela. Enquanto estão separados eles lidam com seus próprios medos e inseguranças, mas juntos eles esquecem de tudo e passam a sonhar cada vez mais com um final feliz. E isso é exatamente o que mais cativa na leitura, o quanto os personagens se entregam ao sonho de ver Elsa sair do coma. Como leitora romântica que ama histórias assim, de paixões impossíveis, fiquei completamente encantada com Thibault. Adoro personagens masculinos reais, e aqui temos um protagonista inseguro, solitário e sonhador o suficiente para se apaixonar por uma mulher em coma. Além disso, Thibault é do tipo que, mesmo machucado pelo amor, não vê a hora de recomeçar. Ele quer ter fé que um dia terá ao seu lado uma boa mulher e que juntos construirão uma família. E eu amei tanto isso, amei ver no personagem esse desejo de ser feliz.
Os pontos positivos que me deixaram encantada com o livro: a narrativa intercalada, a veracidade por trás dos medos dos protagonistas, a personalidade vívida e palpável desse homem incrível que é Thibault, o clima de tensão e romance que permeia a história do início ao fim, a narrativa rápida que deixa a leitura fluída e contagiante, e o final que – apesar de previsível – foi muito emocionante. No geral, a obra foi exatamente tudo o que eu precisava quando comecei a lê-la: um livro fofo, romântico e rápido de ler. O bacana é ler a história sem grandes expectativas e deixar-se surpreender por ela. Além disso, vale dizer que apesar de falar sobre temas complexos a história é leve e romantizada. Eu amei, acho que os fãs de romances vão adorar essa leitura.