Molhar os Pés ou Mergulhar?

26 julho 2017




Sempre fui uma pessoa muito apaixonada.
Sempre busquei por coisas que me motivassem e me instigasse, nunca fui de molhar os pés na borda da piscina, sempre fui de me jogar e espirrar água pra todos os lados. Sempre gostei mais do divertido do que do serio, do bagunçado do que do arrumado. E na adolescência começou a minha busca, a busca por uma pessoa que pudesse conviver com o meu jeito de ser e eu com o dela, uma pessoa que quisesse mergulhar fundo e não apenas molhar os pés.

Foi fácil? Óbvio que não! Eu estava acostumada com o amor que eu lia em livros, o amor que eu via dentro de casa entre meus pais e eu queria este tipo de amor. Eu tinha quinze anos quando eu realmente embarquei nessa jornada e conheci uma pessoa maravilhosa, o B. Namoramos por um tempo e mesmo ele sendo um cara maravilhoso, ele me traiu. Então terminamos e eu voltei a minha vida de amores rasos. 


Mais ou menos um ano depois eu fiz amizade com um cara incrível, o M. Ficamos bem próximos e algo a mais nasceu dessa amizade, começamos a namorar, noivamos, vivemos quatro anos felizes, mas faltando cinco meses para o casamento, eu percebi o quão infeliz eu estava e ninguém deve se casar infeliz, né?! Pois bem, terminei o noivado.

Após este término eu me reencontrei com aquele cara maravilhoso, o B. Voltamos a nos relacionar e eu pensei “Poxa, ele deve ser o homem da minha vida, afinal, se passaram anos e nos reencontramos e o amor que eu sentia por ele, ainda estava lá. Era ele, só podia ser ele.” Iludida eu gente, não era ele, ele me traiu novamente.

Decidi então que eu não ia mais mergulhar em quem apenas queria molhar os pés. Tive outros namoros sim, mas nenhum mexeu comigo como os dois haviam mexido, nenhum me fez ter vontade de viver intensamente. Até que um dia eu a conheci. Fazia anos que eu não me apaixonava a ponto do coração chegar a apertar, afinal, desde o meu noivo eu não me envolvia verdadeiramente com alguém.

Há uns dois anos eu resolvi baixar o Tinder, conheci algumas pessoas, fiz amizades, tive um namoro sério (mas não cheguei a amá-lo). E depois disso passei a usar o Tinder pra me divertir e evitar a solidão. Porém, este ano eu conheci uma pessoa, era dia 11 de Janeiro, cinco dias antes do meu aniversário, melhor presente que eu poderia ganhar. A conheci em uma quarta feira anoite, pedi o número dela e fui dormir, pensei que ela nem iria querer conversar comigo mais kkkk Mas ela quis, conversamos na quinta e na sexta o dia todo, no sábado a convidei para ir em um churrasco na minha casa e ela aceitou. Desde então estamos juntas. Desde então o dia 14 se tornou o nosso dia.

Nosso relacionamento não é um arco íris onde tudo é apenas lindo e florido, mas é sincero, cheio de companheiro, amor, lealdade, fidelidade, risadas, carinho, gordices kkk cheio de muitas coisas boas. É uma coisa louca o que consigo sentir por ela, é um amor tão intenso, tão puro e sincero, que após anos procurando o oceano e encontrando meras poças d’água, eu pensei que jamais conseguiria sentir isso, um sentimento que ultrapassa tudo que já senti na vida. 

Com ela é tudo mais vivo, tudo mais colorido, tudo mais gostoso de se sentir. Cada dia que passa eu tenho mais certeza de que quero passar o restante da minha vida ao lado dela, se isso vai acontecer eu não sei (mas oro pra que aconteça), pois não há sentimento melhor do que quando consigo arrancar uma gargalhada daquela mulher e é isso o que quero fazer para o resto da vida, ser feliz, fazê-la feliz e mergulhar juntas no oceano. Ela não merece ter apenas a sua inicial exposta nesse texto, mas sim o seu nome todo. Te amo, Daiany.

Após anos procurando o homem perfeito pra minha vida, eu acabei encontrando a mulher perfeita. E independente de ser homem ou mulher, eu encontrei o que comecei a buscar lá nos meus 15 anos. Encontrei alguém disposta a viver na mesma intensidade que eu.

Tecnologia do Blogger.