16 agosto 2017

[Resenha] Victoria e o patife- Meg Cabot

Sinopse: Neste romance histórico juvenil escrito pela autora de “O diário da princesa”, acompanhamos a trajetória de Victoria. Criada pelos tios na Índia, ela é enviada a Londres aos 16 anos para conseguir um marido. Mas é na longa viagem até a Inglaterra que a jovem encontra o amor, na figura de Hugo Rothschild, o nono Conde de Malfrey. Tudo estaria ótimo se não fosse a insuportável interferência do capitão do navio, Jacob Carstairs. Por que ele não pode confiar na escolha de Victoria? Por que ele não a deixa em paz? Estaria Hugo escondendo algo?

Esse é um livro perfeito para os jovens que querem começar a ler romances de época, mas evitam tramas sensuais. Aqui a Meg, rainha em escrever livros juvenis, apresenta ao leitor uma jovem dama de dezesseis anos que retorna para a Inglaterra com um único objetivo: encontrar um marido. A história é fluida, bem-humorada e reflexiva na medida certa. Afinal, ao falar de preconceitos e imposições sociais, a autora traz à tona um velho e importante debate sobre a importância que damos às aparências.


Romance de Época (Juvenil) | 256 Páginas | Cortesia Galera Record | Skoob | Compre: SubmarinoSaraivaAmazon | Classificação: 3,5/5


Victoria é inteligente, bonita, vem de uma família tradicional, e conta com uma atrativa – e gigante – fortuna. Por isso, depois de anos sendo criada pelos tios na Índia a jovem resolve assumir sua posição como dama inglesa e voltar para Londres – claro que com a intenção nada secreta de encontrar um bom partido. Durante os meses que passa no navio, Victoria conhece dois homens: um formoso e galante, e outro imprevisível e convencido. Óbvio que ela se apaixona por um e passa a odiar o outro. Entretanto, o que a garota descobrirá ao por os pés em Londres é que as aparências enganam. E que, ao invés de um lorde pomposo e perfeito, seu coração anseia por um homem irônico e sincero – e conhecido como um belo de um patife.

Victoria é a típica garota de quinze/dezesseis anos deslumbrada e sonhadora. Ter vivido na Índia deu a ela a sensação de ser forte o suficiente para enfrentar qualquer problema. Porém, a jovem não estava preparada para artimanhas, mentiras e tolas regras de convívio social. Por isso, já adianto que muitas das atitudes da protagonista irritam o leitor. Logo nas primeiras páginas fica óbvio que suas escolhas foram precipitadas e que ela adora julgar as pessoas com base apenas em suas aparências. Tanto é que Victoria acaba em uma teia cheia de mentiras e perigos, por sua confiança cega no que os olhos vêm, e não no que o coração diz. Queria dar uma bela sacudida nela, mas foi gostoso vê-la amadurecer e descobrir que o que realmente importa na vida não é um casamento vantajoso, mas sim um enlace por amor. Sei que a mensagem é clichê, mas adoro livros que abordam esse assunto

Já Jacob, o protagonista masculino dessa história, é do tipo que conquista aos poucos, com suas frases desafiadoras e sua maneira talentosa de mexer com a personagem principal (ele tem a habilidade incrível de deixá-la extremamente irritada; talento masculino, talvez? Risos). Gostei de como o personagem aborda um tema importante: o crédito que damos para a aparência de uma pessoa e que nos faz confiar mais no que é belo do que no que é sincero. Como já disse, essa mensagem é muito importante, ainda mais em um período que vivemos para a imagem que criamos nas redes sociais. Portanto gostei do livro, apesar do romance e da diversão, trazer o amor como algo que vai muito além de dinheiro, títulos ou aparência.
Não vou dizer que esse é o melhor livro da Meg. Na realidade, achei o começo dele meio chatinho – só do meio para o final que realmente consegui me envolver com a trama. Mas sinto que isso aconteceu porque ainda não havia entendido que o público alvo dessa história são os leitores mais novos. Por isso mesmo que ressalto o fato de que a obra não tem conotação sexual e que é uma ótima pedida para os jovens que buscam um romance engraçado e cativante (e do tipo cão e gato, algo que eu adoro). Claro que no geral foi uma leitura boa, mas ainda assim nada maravilhoso e extremamente marcante.
Sei que a galera mais nova vai adorar esse livro. Agora para a turminha mais velha que devora os romances de época: leia sem muitas expectativas, ok? E deixem que essa trama divirta vocês.





26 julho 2017

Molhar os Pés ou Mergulhar?




Sempre fui uma pessoa muito apaixonada.
Sempre busquei por coisas que me motivassem e me instigasse, nunca fui de molhar os pés na borda da piscina, sempre fui de me jogar e espirrar água pra todos os lados. Sempre gostei mais do divertido do que do serio, do bagunçado do que do arrumado. E na adolescência começou a minha busca, a busca por uma pessoa que pudesse conviver com o meu jeito de ser e eu com o dela, uma pessoa que quisesse mergulhar fundo e não apenas molhar os pés.

Foi fácil? Óbvio que não! Eu estava acostumada com o amor que eu lia em livros, o amor que eu via dentro de casa entre meus pais e eu queria este tipo de amor. Eu tinha quinze anos quando eu realmente embarquei nessa jornada e conheci uma pessoa maravilhosa, o B. Namoramos por um tempo e mesmo ele sendo um cara maravilhoso, ele me traiu. Então terminamos e eu voltei a minha vida de amores rasos. 


Mais ou menos um ano depois eu fiz amizade com um cara incrível, o M. Ficamos bem próximos e algo a mais nasceu dessa amizade, começamos a namorar, noivamos, vivemos quatro anos felizes, mas faltando cinco meses para o casamento, eu percebi o quão infeliz eu estava e ninguém deve se casar infeliz, né?! Pois bem, terminei o noivado.

Após este término eu me reencontrei com aquele cara maravilhoso, o B. Voltamos a nos relacionar e eu pensei “Poxa, ele deve ser o homem da minha vida, afinal, se passaram anos e nos reencontramos e o amor que eu sentia por ele, ainda estava lá. Era ele, só podia ser ele.” Iludida eu gente, não era ele, ele me traiu novamente.

Decidi então que eu não ia mais mergulhar em quem apenas queria molhar os pés. Tive outros namoros sim, mas nenhum mexeu comigo como os dois haviam mexido, nenhum me fez ter vontade de viver intensamente. Até que um dia eu a conheci. Fazia anos que eu não me apaixonava a ponto do coração chegar a apertar, afinal, desde o meu noivo eu não me envolvia verdadeiramente com alguém.

Há uns dois anos eu resolvi baixar o Tinder, conheci algumas pessoas, fiz amizades, tive um namoro sério (mas não cheguei a amá-lo). E depois disso passei a usar o Tinder pra me divertir e evitar a solidão. Porém, este ano eu conheci uma pessoa, era dia 11 de Janeiro, cinco dias antes do meu aniversário, melhor presente que eu poderia ganhar. A conheci em uma quarta feira anoite, pedi o número dela e fui dormir, pensei que ela nem iria querer conversar comigo mais kkkk Mas ela quis, conversamos na quinta e na sexta o dia todo, no sábado a convidei para ir em um churrasco na minha casa e ela aceitou. Desde então estamos juntas. Desde então o dia 14 se tornou o nosso dia.

Nosso relacionamento não é um arco íris onde tudo é apenas lindo e florido, mas é sincero, cheio de companheiro, amor, lealdade, fidelidade, risadas, carinho, gordices kkk cheio de muitas coisas boas. É uma coisa louca o que consigo sentir por ela, é um amor tão intenso, tão puro e sincero, que após anos procurando o oceano e encontrando meras poças d’água, eu pensei que jamais conseguiria sentir isso, um sentimento que ultrapassa tudo que já senti na vida. 

Com ela é tudo mais vivo, tudo mais colorido, tudo mais gostoso de se sentir. Cada dia que passa eu tenho mais certeza de que quero passar o restante da minha vida ao lado dela, se isso vai acontecer eu não sei (mas oro pra que aconteça), pois não há sentimento melhor do que quando consigo arrancar uma gargalhada daquela mulher e é isso o que quero fazer para o resto da vida, ser feliz, fazê-la feliz e mergulhar juntas no oceano. Ela não merece ter apenas a sua inicial exposta nesse texto, mas sim o seu nome todo. Te amo, Daiany.

Após anos procurando o homem perfeito pra minha vida, eu acabei encontrando a mulher perfeita. E independente de ser homem ou mulher, eu encontrei o que comecei a buscar lá nos meus 15 anos. Encontrei alguém disposta a viver na mesma intensidade que eu.

17 julho 2017

Uma carta para o meu Ex 💔


Eu não queria ter que usar o meu espaço particular para fazer isso. Nem tão pouco te expor, pois a maioria dos meus amigos conhecem você, e pior, sabem o que você fez. 
 Correndo o risco de ser completamente ridícula, irei falar sim. É preciso, pois você nunca me deixou dizer,  sempre me calou com a suas mentiras. Eu sei que não irá se esquecer de mim ( Temos algo em comum que não permite que tenhamos uma boa noite de sono, não é mesmo?!) a diferença, é que eu não vou te julgar, como você deixou que acontecesse comigo, vou apenas falar, meu coração transborda e a boca não se fecha. 
Foi tudo errado, começou errado e terminou errado. E eu queria saber o que se passa com você?! Porque esperou 9 meses para voltar ?! ( não havia percebido, ne?!) porque me iludir mais uma vez?! Porque dizer que sentia saudades da minha presença, quando a única coisa que te enteressava era meu corpo ?
Eu não sei dizer "não", e você usou isso contra mim! Deixou que eu me  humilhasse mais uma vez, dando a você a única  coisa que me restou. Eu juro, Deus é testemunha do quanto chorei nos últimos meses. Eu estou sozinha e você não teve compaixão. Esse texto não é uma declaração, longe disso.  Nem um discurso de ódio, só estou te dizendo o que nunca tive coragem. 
É uma maneira que encontrei de por para fora tudo que me sufoca! E você me sufoca... 
Sufoca porquê eu não aguento pensar  em você e não te querer! Sufoca porquê me fez acreditar que sem seu amor eu não conseguiria seguir, e aí está o erro...  Você nunca me amou! E eu aposto, (nossa, como isso dói!) Que você já disse eu te amo, para mulheres que nunca amou... E que nunca te amaram. 
  Mas eu posso te garantir, que eu amei... Amei com toda minha força , eu me agarrei em ti, como se você fosse minha tábua de salvação, e você me deixou afundar sem esforço algum para me trazer de volta à vida. 
Nunca conseguiu me explicar o motivo pelo qual me  trocou. Mas lembro que em uma de nossas últimas brigas você disse : " Eu não mereço uma mulher como você".  E sinto muito por dizer assim, estou começando a acreditar que isso é verdade. 
Meu grito hoje é por socorro, eu estou morrendo e ninguém vê, e você é um dos comprimidos que eu tomei para morrer.   Não quero que me salve, pelo contrário, quero que se salve! 
Eu preciso acreditar no amor novamente e isso só vai ser possível se eu superar você, então seja homem e não fuja! Não fuja de dizer a mim que se arrependeu de pedir para voltar e que não sente saudades  merda nenhuma! E pelo que existe de mais sagrado no mundo, se quiser transar com uma garota, seja claro e não engane ela! 
Eu espero que você esteja bem e que não precise tomar remédios para ansiedade, ou anti-depressivos... Eu espero que você não se machuque e nem chore de medo, eu espero que você consiga beijar alguém sem pensar em mim, e que você não fique pedindo a Deus para me mudar e nem para eu voltar. 
Eu espero que consiga, porque eu já perdi o controle.   


P.s: Estou livre de você agora. 


05 junho 2017

Não desista, moça.


Haverá momentos difíceis, moça, daqueles em que a vontade de desistir será maior que a de continuar. O mundo inteiro vai conspirar contra você e vai ser difícil manter a fé. Sei o que tô falando. Haverá momentos em que a  nossa alma sentirá a necessidade de se virar pelo avesso e se libertar de todo o caos interior, e é nesse momento que devemos desabafar com alguém, deixar os sentimentos ruins saírem para dar espaço às coisas novas. E quem melhor do que Deus? Conte pra Ele suas dores, conversar com Deus alivia. E quando você estiver sozinha no seu quarto desabafando com O Criador, Ele te fará lembrar de momentos lindos que passaram juntos nessa difícil caminhada. Das vezes que sorria do nada quando ouvia Ele falando contigo, e quando sentia vontade de chorar quando ouvia um louvor e sentia Ele te abraçar. E se lembrará o principal motivo pelo qual ainda não desistiu: teu amor por aquele que te amou primeiro e sua saudade do céu, sua verdadeira casa. A caminhada pode ser difícil, menina, mas valerá a pena. Então não pare. E quando estiver com os pés calejados, ore. O Criador te carregará no colo... Só não desista... Continue moça, continue.

09 maio 2017

[ Pastoral da Junventude ] : Dialogar é preciso/ Jonathan Felix




Nos dias 05 á 07 de maio, estive em um retiro da Pastoral da Juventude (você não leu errado). No princípio, tive um pouco de resistência, mas Deus me cutucou dizendo que seria bom, disse que iria me mostrar um novo lado da igreja jovem e que era a este lado que eu pertencia. O curso seria para ensinar a usar o Oficio Divino da Juventude, um livrinho, que antes ao meu ver não passava de um livro de cânticos que não agregavam valor a juventude (que vacilo).
   Em primeiro lugar, peço perdão a toda equipe da PJ de Lajinha/MG. A renovação Carismática me cegou.Eu queria tanto elevar e trabalhar o lado espiritual, que acabei me esquecendo de cuidar do outro. Eu não gostava das danças de rodas,dos mantras e quando misturavam a cultura indiana com o cristianismo, mas isso mudou! mudou, porquê eu vi  a importancia dessa missão que é cuidar do próximo e do planeta. Oras, logo eu que não suportava as dancinhas ao som de "Negro Nagô", sei a coreografia, e me senti inclusa,próxima,abraçada, e amada! me identifiquei e tomei essa causa para mim.
Isso que a PJ faz é incrível! Cuidar dos jovens marginalizados, dar a mão para os que a sociedade massacra e humilha,respeitar a terra, abraçar causas de injustiça, não se acomodar na inércia ao ver um jovem assassinado, morto pela opressão. Só pude ter essa visão ampla do que é ser PJ, neste curso.

  E foi nesse fim de semana, que tive a grande sorte de conhecer o Jovem responsável por me adentrar nesse universo cósmico e verdadeiro da Pastoral.
 Jonathan Felix   , o assessor do curso, com muita paciência e dedicação, nos ensinou como usar o Ofício Divino da Juventude no grupo de jovens. Jonathan tem 28 anos, faz parte da Pastoral da Juventude , mora em Belo Horizonte e faz tantas coisas incríveis que teve que coloca-las em tópico:

Atualmente:

- Facilitador de processos de desenvolvimento pessoal, profissional e comunitário na Noesis Desenvolvimento Humano; 

- Co-Fundador e Editor Chefe da Revista Senso, magazine da área das ciências da religião www.revistasenso.com.br ;

- Atua no Movimento Ecumênico na mobilização de jovens, a partir de distintas vivências de espiritualidade, para a garantia de direitos juvenis e incidência em PPJ's;

- Membro do Comitê Estadual de Respeito à Diversidade Religiosa – CDR/MG, que tem a finalidade de promover o reconhecimento e defender o respeito às diferentes crenças e convicções religiosas, a liberdade de culto, à opção por nenhuma expressão de fé e a garantia da laicidade do estado;

- Assessor de encontros de jovens;

- É representante da juventude e Assessor Bíblico no Centro de Estudos Bíblicos – CEBI/MG, espaço que atua com leitura ecumênica e popular da bíblia;

- Co-Fundador e Facilitador no Geração Mais Amor movimento que tem como objetivo, resgatar a essência do amor em cada um na relação consigo, com o outro e com o mundo;

- Articulador do Coletivo Juntos Pela Cidade em Minas Gerais;

- Coordenador da Rede Emancipa na região do Vale do Aço. A rede promove cursinho pré-enem gratuito com objetivo de inserir jovens no ensino superior.


Cansou? haha, imagina ele. nem sei o que mais devo falar sobre ele, mas tenho que falar dele aqui , assistam um vídeo dele falando sobre espiritualidade Aqui.
 Eu precisava falar para vocês tudo que sinto agora com relaçõa a pastoral, obrigada á todos que me acolheram nesse curso! vou estar sempre presente com todos , e ao Jon, deixo uma mensagem especial:  Eu Sou PJ!

29 abril 2017

[Resenha] Escola dos Mortos



Eu li um livro essa semana e eu não poderia deixar de falar dele para vocês.
Há uma semana mais ou menos um perfil no insta (@livro_escoladosmortoss) começou a me seguir e quando eu fui olhar o perfil, vi que se tratava da divulgação de um livro e na descrição do perfil havia o link para baixar o livro. Logo de cara pensei “Obaa, livro de graça!’ e como o título já havia chamado minha atenção, não pensei duas vezes. Baixei.
O livro se chama Escola dos Mortos. O título meio sombrio me chamou a atenção porque amo um mistério (por isso sou apaixonada pelo Dan Brown).  Assim que abri o livro eu li a sinopse e pensei “Olha, bem interessante”, após a sinopse vem abaixo uma citação de Dante Alighieri e pensei “Opa *-*”, mas após essa citação vem o prólogo, quando li o prólogo pensei “Eita pega, meu Pai amado, alguém me segura”.  Vou colocar o prólogo aqui embaixo só pra dar um gostinho à vocês.

PRÓLOGO
Sou cruel. Sou inevitável.
Milhares me temem, milhares fogem de mim. Mas sou indomável, sou a força da natureza. A humanidade sempre procurou subterfúgios contra mim – religião, ciência, misticismo. Eu não aviso a hora da minha chegada, mas sempre encontro aqueles por quem procuro.
Sim, posso ser terrível – mas adivinhem: gosto de brincar. E, ah, seres humanos, com seus corações volúveis e vulneráveis... Eles são meus brinquedos preferidos. Manipulá-los é minha maior diversão. Sabe, a eternidade pode ser um pouco tediosa.
Por isso, criei para mim um mundo extraordinário. Mas hoje não estou aqui para falar de mim; vim contar uma história. Por muitos anos, essa foi a mais estranha e fascinante que se desenrolou em meu mundo privado, meu mundo oculto – lá onde não há luz nem da lua, nem do sol. E dentro dos caixões, os mortos nunca dormem.
Deixo-te, então, para que possa descobrir através de outros olhos a história daqueles que me desafiaram. E agora que já vou, posso me apresentar.
Sou a Morte.
E um dia a gente se encontra.


Então... Ficaram arrepiados como eu fiquei?
Mas vamos logo ao que interessa né?
O livro conta a história de Lara Valente, uma jovem brasileira de 18 anos que mora no Rio de Janeiro com sua mãe Helena e sua irmã mais nova, Ana. Lara descobre que um avô que 
nunca chegou a conhecer, lhe deixou uma herança. Porém para Lara poder receber essa herança, ela deveria cumprir a única cláusula que seu avô especificou em seu testamento, ir estudar em uma escola em Londres. A Escola dos Sotrom.
Lara de início cogita não ir à escola, afinal ficaria longe de sua família; mas quando descobre a quantia que iria herdar acaba não resistindo e se mudando para escola.  Chegando lá Lara descobre que a escola é extremamente estranha e sombria, as pessoas e os funcionários são esquisitos... Tudo muito diferente do que ela esta acostumada.
Em sua primeira noite na escola, Lara conhece um homem que irá mudar a sua vida. Que será a sua salvação mas também a sua ruína.  Lara tenta a cada dia se adaptar a sua nova rotina a sua nova casa e aos novos amigos, mas quando esta finalmente conseguindo compreender um pouco mais sobre a escola, Lara é assassinada e aí sim ela começa a viver. 

Esse livro é cheio de mistérios, suspense, humor, terror e muito romance. Não há como não se apaixonar pela história. Eu mesma fui consumida por ela, lia em cada segundo disponível que eu possuía e a cada capítulo eu ficava ainda mais encantada. Creio eu que vocês também ficarão!

E para vocês meus amores eu tenho uma surpresa especial. Entrei em contato com a autora e ela aceitou responder algumas perguntinhas para o blog e também deixou que eu disponibiliza-se o link para vocês baixarem o livro. Então vamos as perguntinhas!


Bate papo com a autora – Karine Vidal:

1 – Você me mostrou seu insta pessoal, pude ver nele que você é bem nova. Qual sua idade?
R: Tenho 22 anos.
2 – O livro me consumiu de uma forma intensa, de onde você tirou a inspiração para escrevê-lo?
R: Sonhei com o Luka. Ele me impressionou. A partir daí a estória foi surgindo em torno dele. Como tenho essa veia obscura característica da minha escrita, a estória estava fadada a ter mistério e um elemento sombrio! Rs
3 – Você possui uma formação acadêmica?
R: Estou me formando em Direito no final desse ano. Ainda pretendo cursar História ou Arqueologia
4 – Faz tempo que você escreveu o livro? Ele é o seu primeiro livro?
R: Escrevi o livro com 18 anos, mas ficou esquecido no meu computador. Minhas primas leram esse ano e me impulsionaram a divulga-lo, então resolvi investir. Esse na verdade é meu terceiro livro, mas os outros dois não irei abrir ao público, pois não acho que vale a pena investir.
(Acho que devemos agradecer as primas ein?!)
5 – Foi difícil escrever este livro?
R: Não, foi mega fácil. Eu amei os personagens, ri com eles, chorei com eles. Me encantei pelo Luka e me senti a própria Lara. Todo o tempo a escrita foi fluída, rápida, gostosa, pois eu estava me divertindo naquela estória. Amei cada segundo!
6 – Pretende fazer uma continuação para ele?
R: Sim! Vai ter! Vou começar a escrever assim que passar minha prova da OAB. Mas só vou divulgar a continuação se uma editora se interessar em nos publicar 😂
(Oremoooos)
7 – Tem intenção de escrever outros livros? Seguirá escrevendo romances?
R: Tenho sim, amo escrever! Claro, todos serão romances. É o tema que me interessa.
8 – Como você se sente quando alguém expressa como se sentiu ao ler o seu livro?
R: Maravilhosa e emocionada. É lindo saber que o mundo na sua cabeça toca o coração das pessoas.
9 – Gostaria de deixar alguma mensagem especial para os leitores do Desapegados do Mundo?
R: Continuem a ler, pois isso é lindo e muito engrandecedor. Espero que Escola dos Mortos possa causar tantas emoções gostosas em vocês como causa em mim.

É isso aí galerinha, espero que tenham gostado e que leiam o livro. E quando lerem, deixem aqui embaixo nos comentários o que acharam. Ok?

17 abril 2017

Os nãos de Deus



Eu tenho uma lista enorme de sonhos frustrados... Das vezes que eu planejei tudo e Deus disse não. 
Eu tenho os joelhos calejados... Das vezes que implorava pedindo a Deus que fizesse a minha vontade e tapava os ouvidos para ouvir a dele. Deixei meu coração aos caquinhos insistindo no que eu achava que era melhor.
Deus parecia se calar quando eu o buscava. Mas na verdade ele dizia não e eu me negava a dar ouvidos.
Quando meu coração tava moído de tanto dar murro contra  a parede foi que eu acordei pra realidade. Quando já não havia mais o que se abater dentro de mim foi que eu deixei o meu eu e dei ouvidos para a voz de Deus.
Então Ele (ou eu) me permitiu entender o porque dos seus "nãos".
Passou um filme pela minha cabeça... Havia uma certa grandiosidade em cada um deles - nos nãos - Deus enxergava o meu amanhã enquanto eu só pensava no que me deixaria feliz hoje. Deus queria me dar o eterno enquanto eu ansiava pelo o que era passageiro.
O tempo passou. Eu amadureci. Meus sonhos mudaram. 
Hoje eu imagino o caos que seria minha vida se Deus tivesse dito sim para aqueles meus sonhos bobos. 
Hoje eu posso ver a grandeza escondida nas entrelinhas de cada "não" de Deus. 

Ontem doía. Eu não conseguia entender nada. Hoje tudo faz sentido.
Não adianta fazer birra, Deus é um bom pai, e como todo bom pai, sempre nos dá o que é melhor. Ele nos ama tanto que seria incapaz de satisfazer todos os nossos desejos. 
Parece clichê mas o segredo é confiar. Não questionar quando Deus fizer o contrário do que você pediu. Você pode não entender hoje, mas amanhã, tudo fará sentido.

.
.
.

Talyta Oliveira

Leia o post anterior: O mundo precisa de pessoas apaixonadas... 💗

13 abril 2017

O mundo precisa de pessoas apaixonadas... Por elas mesmas...



O motivo da falta de sorrisos nos rostos de hoje é bem simples: bem-estar terceirizado. Gente que acha que sua felicidade depende unica-e-exclusivamente de outro alguém ou de algo. Dão a volta no mundo procurando o que está dentro delas. "Se eu tiver isso vou ser feliz" " Se eu encontrar alguém vou ser feliz" " Se eu me mudar daqui vou ser feliz"... Papo furado de quem precisa se encontrar, se conhecer e enfim se amar. 
Sabe de que o mundo precisa? De pessoas apaixonadas, mas por elas mesmas. Que se bastam. 
Tu sabes valor que tem? Se valorize! 

Tenha sempre aquele velho amor que fica quando todos se vão: próprio.
É impossível amar o próximo quando não sabemos amar nem a nós mesmos.
Sua felicidade só depende de você. Seja feliz consigo mesmo, aí onde está, para depois atravessar fronteiras contagiando os outros com o que está dentro de você.
Vasculhe seu interior e se surpreenda. Faça uma faxina na alma. Tire a poeira dos móveis. Aliás, deixe o doce carpinteiro entrar e trazer móveis novos.
Aprenda: a arte de estar bem consigo mesmo vem acompanhada de um bocado de realizações.

06 abril 2017

[Resenha] Caixa de Passáros-Josh Malerman

 Sinopse:  Caixa de Pássaros - Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler. Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois de o surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.



Que livro incrível! É difícil colocar em palavras o quão envolvente e impactante revelou-se a leitura de Caixa de Pássaros. Nunca havia lido algo assim: tão aterrorizante e angustiante. E mais, em nenhum momento imaginei que ao invés de torcer para não ficar amedrontada (o que, sem dúvida, seria o mais provável), eu vibraria com o terror presente na história. O fato é que o grande charme da obra é que ela é dolorosamente intensa. Cada emoção narrada – medo, confusão, desamparo, angústia – é descrita para que o leitor sinta na própria pele as experiências da protagonista; motivo pelo qual é impossível não devorar cada página dessa surpreendente e instigante históriade suspense e cegueira.


A trama traz como cenário uma epidemia global que tem enlouquecido os seres humanos. Os casos começaram na Rússia e aos poucos infestaram o mundo, aterrorizando todas as nações. Acontece que ao ver algo – uma criatura, talvez – o homem fica tão apavorado que, além de enlouquecer, acaba se suicidando. Enforcamento, automutilação, autocanibalismo...Não importa como, ver tal ser misterioso leva as pessoas a se matarem imediatamente. Desesperadamente, a população passa a estocar alimentos, tampar todas as janelas e portas de casa e, como medida preventiva, usar vendas. Entretanto, por quanto tempo alguém consegue ficar recluso e, principalmente, com os olhos fechados? O caos está instalado, a comida é escassa, as pessoas estão morrendo, e o pior é que não é possível saber o que está causando tudo isso. Ver não é mais seguro, talvez nunca mais será.


É um blecaute, pensa Malorie. O mundo, o exterior, está sendo desligado. Ninguém tem respostas. Ninguém sabe o que está acontecendo. As pessoas estão vendo alguma coisa que as leva a machucar os outros. A machucar a si mesmas. As pessoas estão morrendo. Mas por quê?

Suspense | 272 Páginas | Cortesia Editora Intrínseca |  Compare & Compre: Saraiva • Amazon • Cultura| Classificação: 5/5 

Acompanhamos o mundo desmoronar sob o ponto de vista de Malorie, jovem que, por estar grávida, luta com coragem e determinação por sua vida e a de seu bebê. Um dos pontos positivos da obra é que a narrativa da protagonista é intercalada entre presente e passado: um passado de tragédia, morte e medo, e um presente de incerteza e esperança. Ao longo da leitura as peças do quebra-cabeça vão se encaixando, fazendo com que a união de passado e presente torne a narrativa ainda mais instigante e surpreendente. Outro aspecto favorável são os momentos de pura aflição que passamos ao lado de Malorie. Ter um filho, perder as pessoas que ama, ver de olhos fechados o mundo desmoronar e ainda manter-se sã? Isso é para poucos. Muitas vezes me perguntei se no lugar dela teria coragem para seguir em frente. E sinceramente? Sei que a resposta é não. Então, pontos para o autor por criar uma heroína como essa. Sem dúvida virei fã da personagem e da sua força monumental.
Além do cenário incrível e da protagonista corajosa, o autor também encanta por ter uma narrativa fluída e real. Como já disse anteriormente, sua escrita nos permite sentir o mesmo que a Malorie, quase como se nossos olhos também estivessem vendados. Adorei cada sensação gerada pela leitura, me deliciando com a mescla de emoções causadas por essa história que, mesmo sendo fantasiosa, me levou ás lágrimas e me fez refletir sobre o futuro do mundo, sobre como seria levar uma vida completamente nas trevas. Tenho uma única ressalva para quem espera explicações e teorias mirabolantes: tenham em mente que a trama é, antes de qualquer coisa, sensitiva. O objetivo do autor é mexer com nossas emoções, portanto, faltam detalhes sobre como o mundo começou a desmoronar e a respeito da verdade por trás das criaturas que afligem a humanidade. Questões que, sendo sincera, não afetam o rumo da história, muito pelo contrário, tornam ela ainda melhor. – Não saber o que temer é a grande aposta do autor.
Simplesmente me apaixonei pelo livro! Creio que minha resenha não fez jus à obra, portanto fica o apelo: leiam a história e deixem-se cativar pelo talento do escritor Josh Malerman. Quem sabe ele também não te surpreende?


12 março 2017

[ Resenha] A Máquina de contar Histórias-Maurício Gomyde


  Sinopse: Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das filhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar. Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V. Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde

                                – Acho que a vida podia ser mais simples, sabia? -página 127 


Romance || 192 Páginas || Cortesia Novo Conceito|| Compare & Compre || Classificação: 5/5

Em seus livros Vinícius Becker, um famoso romancista, brinca de Deus e escreve histórias na medida certa para surpreender e comover seus leitores. Suas obras transbordam emoção e amor, porém na vida real seu dia a dia é repleto de dor e solidão. Enquanto seus livros fazem cada vez mais sucesso e suas obras emocionam mais e mais leitores, a vida familiar de Vinícius desmorona com a perda de sua esposa, aquela que era responsável por manter a família “V” forte e unida, a única que era capaz de superar a distância impostar por Vinícius e por seu trabalho constante. Agora, devastado pela perda recente, Vinícius percebe que precisa reconquistar suas duas filhas e fazer ressurgir o amor fraterno que um dia os uniu. E para isso ele irá abandonar todas as suas convecções e, de olhos fechados, se entregar ao amor e à cura que só esse sentimento é capaz de proSendo assim, posso dizer que a trama gira em torno do processo de perdão, cura e recomeço da família “V”. Por um longo tempo Vinícius fingiu levar a vida perfeita, tomando o caminho mais fácil enquanto sua família, enquanto as mulheres da sua vida, precisavam mais do que nunca do seu amor e do seu apoio. O problema é que, por mais que fujamos, as dificuldades sempre nos alcançam, e quando isso acontece Vinícius precisa decidir o que é mais importante para ele: o amor descrito em seus livros, ou o amor vivenciado em seu lar. Nesse momento, em busca do perdão, vemos um marido devastado e um pai decidido a mudar: ele perdeu sua esposa, mas não perderá também suas filhas.


Outro ponto positivo, além da escrita do autor, é o pano de fundo da história, que por ter personagens escritores dá espaço para infinitas citações tipicamente literárias. Além disso, temos a descrição de viagens que nos transportam para lugares incríveis, e o uso de uma misteriosa troca de e-mails que torna a leitura ainda mais misteriosa e fluída. Nesse ponto não posso dizer que me surpreendi totalmente com o segredo presente na trama, na realidade logo de cara já suspeitei do desfecho, mas ainda assim achei o artifício encantador. Outra minúcia que dá um charme especial à trama é a filha mais nova de Vinícius – Sério, não tem como não amar personagens infantis como ela, que como todas as crianças, dão leveza aos momentos mais difíceis da vida.
Entre tantos elogios positivos só posso dizer que adorei esse livro e que o indico sem medo para os fãs de romance. Na realidade, indico todos os livros do autor de olhos fechados.