08 agosto 2016

Resenha: Como eu era antes de você - Jojo Moyes

Sinopse:


Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

Vou começar dizendo que esse livro é Ma-ra-vi-lho-so e já está na minha listinha de melhores que já li. (Sério mesmo) Mas se você acha que esta é mais uma daquelas histórias de amor tradicionais com um final feliz, não se iluda.

Lou Clark sabe uma porção de coisas.
Ela sabe quantos passos separam sua casa do ponto de ônibus. Sabe que adora trabalhar como atendente em um café e sabe que provavelmente não ama seu namorado, Patrick.
O que Lou não sabe é que está prestes a perder o emprego, e que isso a obrigará a repensar toda sua vida.
Will Traynor, por sua vez, sabe que o acidente com a motocicleta tirou dele a vontade de viver. Ele sabe que o mundo agora parece pequeno e sem graça, e sabe exatamente como vai dar um fim a tudo isso.
O que Will não sabe é que a chegada de Lou vai trazer de volta a cor à sua vida. E nenhum deles desconfia de que esse encontro irá mudar para sempre a história dos dois.

O livro conta a história de Louisa Clarck, uma garçonete de 26 anos que tem uma personalidade cativante (impossível não se apaixonar) e para ela: Não tem nada que uma xícara de chá não resolva. Lou tem um estilo bem exótico, é apaixonada por moda (não que ela entenda alguma coisa sobre isso). Mora com os pais e namora um corredor sem noção: Patrick, ele se importa mais com os esportes do que com ela, e ela obviamente não gosta dele de verdade mas está tão acostumada a viver acomodada a tudo que não está dando a menor bola para o seu relacionamento que a tempos não faz mas seu coração bater mais forte (se é que um dia fez). Lou trabalha em um café, um emprego que não tem futuro mas ela simplesmente gosta de preparar café, conversar com seus clientes e presenciar discussões de pais separados que se encontravam ali para discutir qual dia o seus filhos ficam com quem. Ela mora em uma casa cheia, tem um quarto super pequeno, vive uma rotina que, por incrível que pareça, ela ama. Tudo muda quando o café onde Lou trabalha é fechado e ela tem que procurar um novo emprego, afinal ela precisa ajudar nas despesas de casa. Sem muitas qualificações, depois de varias tentativas, Lou se vê obrigada a aceitar o ultimo emprego que o Centro de Desempregados tem como opção. Cuidadora de um tetraplégico. Sim, Will. O contrato é só por seis meses, e essa é a motivação de Lou: Ahh são só 6 meses.
O primeiro contato de Lou e Will não foi nada amigável (Os primeiros contatos, melhor dizendo), tanto que Lou até pensa em desistir, o que não acontece pela insistência de Camilla Traynor, a mãe de Will. Lou passava mais tempo com Nathan, o enfermeiro de cuida de Will, do que com o próprio Will. A relação de Lou e Will muda quando ela começa a trata-lo como ele a trata: grossa, arrogante e sarcástica (irônico neh?), então os dois se tornam amigos... (E é a partir daí meus amores que precisamos preparar o coração pra fortes emoções...)

‘’Poucas coisas ainda me fazem feliz, e você é uma delas.’’                                                             

Eu me apaixonei pela historia, de verdade. Eu diria que Jojo Moyes entende dessa coisa de sentimento, pois me proporcionou sentir coisas que eu nunca tinha experimentado. Esse é o primeiro livro da Jojo que leio, e fico imaginando se as outras obras da autora são tão, tão... Tão sem palavras como essa!
 Bom, Lou e Will passavam a maior parte dos seus dias juntos, já era de se esperar que criassem algum tipo de laço. Fiquei ansiosa por saber no que ia dar esse romance, e fui bem tradicional ao imaginar um ‘’final felizes para sempre’’ e fiquei meio ‘’sei lá’’ quando aconteceu exatamente o contrário. Acho que é exatamente isso o que nos traz uma experiência totalmente diferente ao ler. E criamos em nós a possibilidade de novos sentimentos, de sentir a dor do outro e não julgar diante das escolhas do próximo.
Will era um homem ativo e cheio de vigor, gostava de aventuras e vivia a vida intensamente. E de repente, em uma manhã chuvosa ele sofre um acidente que o prende a um rotina limitada e entediante sobre uma cadeira de rodas. Tinha dores quase que insuportáveis, o que me faz entender que talvez o amor não cure, só amenize um pouco a dor tornando mais fácil conviver com ela.
Jojo Moyes aborada temas tão, mas tão delicados com uma linguagem de tão fácil compreensão e com uma certa sensibilidade que nos faz fechar os olhos e nos colocar no lugar de Will, conhecendo suas dores, tristezas, dificuldades e limitações.
Louisa e Will passam a fazer varias atividades juntos como assistir filmes, passear pelo Castelo.  É impressionante como ambos mudam, como eles aprendem um com o outro. Lou trás mais alegria à vida de Will. E Will, mesmo em uma situação tão limitada, mostra a Lou o quanto é importante que ela amplie seus horizontes e se permita mais.

‘’Você só vive uma vez. É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível.’’

Há tempos não leio um livro que me proporcionasse sentimentos tão diversos como esse. Ri muito, e teve momentos que fiquei com o coração pequenininho, e no fim... Chorei rios, como se tivesse perdido alguém especial, ou tivesse sofrido uma grande decepção amorosa, sei lá. E ao mesmo tempo fui tomada por uma felicidade estranha, talvez pela quantidade de aprendizado que consegui absorver.
Mas o momento que mais chorei foi quando Will disse para Lou que...
Hahaha, achou que eu ia dar Spoilers neh? Rsrs

Fiquei com o coração apertado, e ao mesmo tempo com raiva. Kkkk eu poderia falar e falar e nunca conseguiria descrever o que senti  (Só lendo pra entender). Mas o que posso dizer é que terminei de ler transformada. Então só quero pedir uma coisinha: Leia!!!!!!!!!! RS