03 agosto 2016

Resenha: Érica

 Sinopse:


 Moscou. Dois jovens sobrevivem a um duplo atentado que mata quase todos os seus amigos. Cairo. Uma ONG islâmica tenta escapar de uma armadilha, arquitetada por integrantes da Ordem das Doze Tribos de Israel. Washington. Na sede da Ordem, a filha de um funcionário da Casa Branca cai em ciladas para que seu pai colabore com os radicais. Pequim. Um filho procura o pai, há meses desaparecido. Fortaleza. Em uma triste manhã, Érica encontra seus pais mortos... Nessa incrível trama, todas essas histórias se entrelaçam de forma impressionante. E somente Érica, que acaba de descobrir que foi incluída em uma lista negra da Ordem das Doze Tribos de Israel, poderá impedir uma grande desgraça planejada por judeus fundamentalistas, prestes a atingir a todos.
  
     
O livro conta a história de Érica, que está eufórica com a vinda dos tão esperados 15 anos. Tinha uma vida normal, e a festa que sonhou, até que alguns dias depois seus pais são mortos em seu lugar, já que ela foi incluída em uma lista negra da chamada Ordem das Doze Tribos de Israel ( Medo profundo disso !!). Para vingar a morte dos pais, ela aceita um convite para ser uma agente da União Europeia, para lutar contra ataques terroristas.
"Numa guerra não existem vencedores. Todos perdem... Por cada pessoa, soldado ou civil, que morre numa guerra, a humanidade perde um pouco de sua essência,e os países, parte de seu maior patrimônio... o melhor caminho é paz."
   Enquanto isso, na Rússia, dois jovens sobrevivem a um atentado em uma boate. Na China, um jovem procura desesperadamente pelo pai desaparecido. Nos Estados Unidos, a filha de um funcionário da Casa Branca é sequestrada, para que o pai dela possa colaborar. No Egito, uma ONG sofre ameaças caso não se junte à Ordem. Todas as histórias são conectadas, entre religiões, culturas e famílias.

"A raiva foi substituida pela determinação. Ela não deixaria que a morte dos pais fosse em vão. Faria o que não queria que fizessem: enfrentá-los."

Érica é um livro que possui muitos personagens. O que de vez ou outra me bugava a mente...  ( Iasmin é a mais fodastica do livro)
 No inicio, eu pensei que o livro era de fantasia, que Érica teria super-poderes, um uniforme maravilhoso, e salvaria o mundo. Mas não, ela é bem humana, sofre horrores e ainda salva o mundo. ( Contei o fim do livro ? Sim, mas e daí ? Pois agora você vai ter que ler para descobrir como ela fez isso. )
Conte-me o que achou depois  !

P.s: Os nacionais me matam de orgulho! Parabéns Larissa.